TSE marca depoimentos de testemunhas no caso dossiê

O corregedor-geral eleitoral, Cesar Rocha, marcou para o próximo dia 10 os depoimentos de 13 pessoas indicadas como testemunhas na investigação que apura a tentativa de compra do dossiê contrário aos tucanos. A investigação foi aberta em setembro a pedido do PSDB e do PFL, partidos que apoiaram a candidatura do tucano Geraldo Alckmin à Presidência da República.A investigação instaurada por Rocha vai apurar se o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e do presidente licenciado do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), tiveram alguma participação no episódio. O caso foi desencadeado com a prisão, em 15 de setembro, de Valdebran Padilha e Gedimar Passos com R$ 1,75 milhão. O dinheiro seria supostamente usado para comprar o dossiê. Em defesas encaminhadas ao TSE, Lula, Thomaz Bastos e Berzoini negam envolvimento no caso e pedem o arquivamento da investigação. Entre outros argumentos, a defesa de Lula alegou que a divulgação de um dossiê contrário ao governador eleito de São Paulo, José Serra, não teria repercussões na disputa presidencial e não traria benefícios para a campanha dele. Thomaz Bastos afirmou em sua defesa que não teve qualquer ingerência, direta ou indireta, sobre as investigações, ações, operações e inquéritos policiais conduzidos pela PF para apurar o episódio. Berzoini disse que as acusações contra ele eram baseadas unicamente em reportagens jornalísticas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.