TSE multa presidente pela sexta vez

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) multou ontem em R$ 5 mil o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter feito propaganda favorável à candidatura de Dilma Rousseff (PT) ao Palácio do Planalto durante evento organizado em maio pela Força Sindical, em comemoração ao Dia do Trabalho. Essa foi a sexta multa imposta pelo TSE ao presidente, num total de R$ 42,5 mil.

Mariângela Gallucci / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2010 | 00h00

A maioria dos ministros entendeu que Lula promoveu a candidatura de Dilma no discurso feito no evento, que foi patrocinado por estatais. Lula disse que quando deixar a Presidência vai registrar em cartório suas realizações. "Eu quero que quem venha depois de mim ? e vocês sabem quem eu quero ? saiba que tem que fazer mais e fazer melhor, e fazer muito mais, porque nós aprendemos, nós preparamos e nós estamos convencidos." Em outra passagem do discurso, Lula disse: "Mas espero ser convidado para falar bem do próximo presidente, que, tenho certeza absoluta, que o povo quer que continue o mesmo programa de governo para cuidar do povo pobre deste País."

Ao impor a multa, o TSE atendeu a um pedido do Ministério Público Eleitoral, que discordou de decisão anterior, do ministro Joelson Dias. Ele tinha isentado Lula, Dilma e o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, do pagamento de multa.

Em seu voto, o ministro Marco Aurélio Mello fez críticas ao comportamento de Lula que, segundo ele, faz propaganda eleitoral antecipada de forma reiterada. "Talvez essa espécie de propaganda seja a de maior eficácia que se tem, em que se lança e se desafia a inteligência alheia para a percepção do alvo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.