TSE nega liminar a Garotinho

O Tribunal Superior Eleitoral negou liminar solicitada pelo ex-governador Anthony Garotinho (PR), por meio da qual ele pretendia a suspensão da decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio que decretou sua inelegibilidade. O TSE alegou que prefere esperar o julgamento de recurso interposto por Garotinho no próprio TRE, onde foi considerado inelegível por abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação social nas eleições de 2008.

, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2010 | 00h00

Em sua decisão, o ministro Marcelo Ribeiro ressalta que o recurso de Garotinho no TRE será apreciado nesta segunda-feira. Segundo ele, apenas em casos excepcionais o TSE admite a suspensão de efeitos de decisões regionais antes de completamente esgotada a instância ordinária.

Em decisão de maio deste ano, o TRE fluminense cassou o mandato da prefeita de Campos(RJ), Rosinha Garotinho, por abuso do poder econômico. O TRE entendeu que Rosinha teria sido beneficiada por publicações e por programas favoráveis na rádio O Diário. A decisão tornou inelegíveis a prefeita, Garotinho (seu marido) e mais três radialistas.

Garotinho afirma que qualquer dúvida sobre sua elegibilidade cria sérios problemas para a escolha de seu nome na convenção do PR fluminense, prevista para hoje, e traz prejuízos irreparáveis à campanha eleitoral em si, na medida em que seus adversários "certamente sustentarão a incerteza da validade do voto que vier a ser dado" a ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.