TST é favorável à quebra de sigilo de juízes sob investigação

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Francisco Fausto, defendeu hoje a quebra do sigilo nas investigações abertas para apurar a ligação de juízes com o crime organizado. Conforme o site do TST, o ministro opina que o sigilo seja quebrado nos casos em que os indícios levantados pela Polícia Federal apontem forte ligação de magistrados e também de parlamentares com o narcotráfico."A sociedade quer transparência e o sigilo nesses casos é imprescindível para que a verdade dos fatos seja alcançada, mesmo que um juiz esteja envolvido", afirmou Francisco Fausto. A declaração do presidente do TST, ainda conforme o site do TST, repercute reportagem de O Estado de S. Paulo em que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, também se diz favorável à quebra do sigilo para dar andamento às investigações. O tráfico e suas conexões

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.