TST faz reunião de conciliação com servidores da Saúde de SP

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) reúne amanhã, às 10 horas, representantes do governo do Estado de São Paulo e do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo. A categoria está em greve desde o dia 10 de maio e o governo paulista recorreu da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo no julgamento do dissídio coletivo da categoria, com pedido de efeito suspensivo que torna sem efeito a decisão regional até o julgamento do mérito do recurso. No dia 18 de maio, ao julgar o dissídio, o TRT paulista considerou a greve não-abusiva e determinou o reajuste de 23,94% sobre o total da remuneração para os servidores celetistas. O TRT decidiu também pelo pagamento dos dias parados e concedeu estabilidade de 90 dias aos grevistas. Para os servidores estatutários, o processo foi extinto sem julgamento do mérito. A reunião será presidida pelo ministro Ronaldo Lopes Leal, presidente em exercício do TST.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.