TST realiza amanhã reunião entre Metrô-SP e metroviários

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Francisco Fausto, realizará às 15h de amanhã nova reunião entre a diretoria da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô-SP) e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo e do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo. Na audiência serão analisadas as propostas formuladas na primeira reunião de conciliação, realizada no último dia 18 e na qual foi negociada a interrupção de greve pelos metroviários de São Paulo. A reunião será realizada na sala de audiências da sede do TST. No último dia 18, os metroviários concordaram em interromper a greve a pedido do presidente do TST para que pudessem retornar às negociações em torno do pagamento do reajuste salarial de 18,13% - deferido em maio último pelo Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (2ª Região) aos oito mil funcionários do Metrô. O reajuste não foi pago pela empresa, que alega impossibilidade financeira. A diretoria do Metrô levará para a reunião de amanhã a resposta do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à proposta formulada pelo ministro Francisco Fausto, de que empresa pague 8% de reajuste aos metroviários imediatamente e mais 8% em janeiro de 2004. Caso as partes não cheguem a um acordo amanhã, o ministro Francisco Fausto se comprometeu a despachar na próxima quarta-feira o pedido de efeito suspensivo ajuizado pelo Metrô-SP contra a decisão proferida pelo TRT-SP. Nesse documento, o presidente do TST manterá ou suspenderá a decisão do TRT, que determinou o reajuste de 18,3% para a categoria dos metroviários. Deverão participar da audiência de amanhã o gerente jurídico do Metrô-SP, Sérgio Aveleda Passos; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários, Flávio Godoy; o presidente do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, Murilo Celso de Campos Pinheiro; e seus respectivos advogados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.