Tadeu do Resgate/Facebook
Tadeu do Resgate/Facebook

Tubulação se rompe e despeja minério em manancial de Minas Gerais

Cidade de Santo Antônio do Grama teve o fornecimento de água interrompido; mineradora vai disponibilizar caminhões-pipa

Rene Moreira, especial para o Estado

12 Março 2018 | 18h10

A tubulação do mineroduto de ferro Minas-Rio se rompeu na manhã desta segunda-feira, 12, e atingiu um manancial em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata, em Minas Gerais. O problema afetou o rio que abastece a cidade e outro ribeirão.

+++ Ibama embarga parte de mineradora no Pará e multa empresa em R$ 20 milhões

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) teve de interromper a captação de água, por volta das 7h40, e a Anglo American Minério de Ferro S.A. informou que no momento "esforços estão concentrados em medidas emergências que garantam o abastecimento de água da cidade".

+++ Barcarena recebe galões de água potável após vazamento de rejeitos contendo bauxita

A Anglo disponibilizará a partir da noite desta segunda caminhões-pipa para atender os mais de 4 mil moradores do município. Os veículos serão abastecidos na Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio Casca.

+++ Laudo técnico confirma vazamento de rejeitos de mineradora no PA

Sem água

O rompimento fez jorrar polpa de minério para fora, como mostram vídeos feitos por moradores da região. Eles relatam que muita lama e rejeitos de minério estão descendo pelo rio. A Copasa diz que interrompeu o abastecimento de água por volta das 10 horas, "antes da chegada da mancha de minério ao ponto de captação no Córrego Santo Antonio, que ocorreu às 13 horas". 

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) esclareceu que não há informações sobre vítimas ou desalojados e que equipes de emergência averiguam a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.