Tucanos sonham com fenômeno no time

Serra vai à casa do atacante do Corinthians com FHC, que já frequenta o local para jogar pôquer; craque afirma que só deu sugestões para políticas públicas e chamará os demais candidatos

Julia Duailibi e Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

Todo presidenciável deseja uma declaração pública de voto de uma grande personalidade. O presidente norte-americano, Barack Obama, por exemplo, contou com o apoio da apresentadora de TV Oprah Winfrey na disputa presidencial de 2008. A declaração, para os estrategistas democratas, acabou rendendo ao então candidato a simpatia de muitos eleitores pelo país.

Na corrida presidencial brasileira, os tucanos "sonham" com uma declaração oficial de apoio de Ronaldo Fenômeno. Na noite de quinta-feira, o candidato do PSDB, José Serra, encontrou-se com o jogador do Corinthians no apartamento dele, em Higienópolis, zona oeste paulistana.

Jantaram lá na presença de integrantes do time, de outros atletas, como a saltadora Maurren Maggi, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, com quem Ronaldo divide o gosto (e jogadas) pelo pôquer.

A iniciativa partiu do próprio Ronaldo, que convidou os atletas e o presidenciável para discutir a "política esportiva".

Serra, mesmo palmeirense, nutre simpatia especial pelo camisa 9 do Corinthians. Nos bastidores, os tucanos comentam que Ronaldo poderia ser uma espécie de embaixador do País para a Copa de 2014. O nome do jogador já foi ventilado internamente como possibilidade para ocupar o Ministério do Esporte, num eventual governo tucano.

Não seria novidade numa gestão do PSDB. Entre 1995 e 1998, Pelé assumiu a pasta durante a administração de FHC.

Logo após o jantar, Serra postou o encontro em seu Twitter, ainda de madrugada. "Jantar agradável na casa do Ronaldo e da Bia. Estavam os craques Paulo André, Edu, Roberto Carlos, Elias, William", disse Serra, citando outros jogadores.

O candidato logo postou uma foto do encontro e disse: "Incrível: entre umas 25 pessoas presentes ao jantar do Ronaldo, eu era o único palmeirense..."

Ronaldo logo se explicou, também via Twitter. "Pra ficar claro, não é apoio político. Eu e meus companheiros no Corinthians só demos sugestões para políticas públicas de apoio ao esporte". O jogador disse então que pretende fazer o encontro com outros presidenciáveis.

Ronaldo, que já bateu boca publicamente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, corintiano, é amigo de outro tucano, Aécio Neves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.