Tumulto em visita de Lerner ao interior do PR

Um protesto contra o governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), na tarde desta sexta-feira, transformou-se em tumulto e confronto com a polícia em Arapongas, a 430 quilômetros de Curitiba. Duas pessoas entre elas, um vereador, foram detidas pela polícia. Segundo os manifestantes, algumas ficaram feridas.De acordo com a diretora do Sindicato dos Professores Alexandra Pingret, aproximadamente 150 manifestantes, entre professores, estudantes, sindicalistas e membros do MST reuniram-se próximos à prefeitura, onde Lerner estava reunido com prefeitos da região. Eles portavam faixas e gritavam palavras de ordem por melhores salários e contra a venda da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel).Ao perceber a manifestação, o governador saiu pela porta dos fundos da prefeitura, mas o carro onde entrou foi atingido por ovos. Estava prevista a presença de Lerner num almoço no Clube Comercial, mas ele decidiu se retirar da cidade. Apesar disso, os manifestantes foram até o local, que tinha um cordão de isolamento feito pela polícia.Segundo Alexandra, enquanto os manifestantes gritavam, chegou um grupo de policiais da Tropa de Choque de Londrina (PR). "Eles desceram e já foram atirando balas de borracha e bombas", afirmou. "Várias pessoas machucaram-se."O diretor do Sindicato dos Bancários Hermes Gonçalves levou cinco pontos na cabeça. De acordo com a PM, os policiais teriam sido atacados com pedras, respondendo com balas de borracha e bombas de efeito moral.A polícia deteve o vereador Sérgio Onofre (PMDB), sob acusação de incitação pública ao crime, desacato e resistência. Por incitação ao crime e desacato, também foi detido o membro do MST Cealdemir Gomes Ribeiro. Os dois foram autuados, prestaram depoimento e foram liberados mediante pagamento de fiança de R$ 180.O governador comentou que os responsáveis pelo protesto são "um grupo pequeno e agressivo que apela para a violência porque não consegue reunir gente para colocar em prática seus planos". "São profissionais do protesto, cuja tática é conhecida", afirmou. "Sempre que se aproxima um período eleitoral, eles intensificam seus atos para chamar a atenção da imprensa." Segundo a assessoria do governador, ele continuará visitando o interior do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.