Turistas acusam PMs de agressão em Caraguatatuba

O Comando da Polícia Militar de Caraguatatuba, no litoral norte paulista, investiga denúncias de agressão e prevaricação por parte policiais militares contra três turistas, na saída de uma boate, na madrugada do último sábado, no centro da cidade.Segundo relato das vítimas à polícia civil, um homem de cabeça raspada, supostamente um policial à paisana, teria iniciado algumas provocações, incitando os turistas à briga. Depois, sacou uma arma, ameaçou as pessoas que estavam por perto eagrediu um dos turistas com uma coronhada na cabeça.Uma das vítimas, o advogado Cláudio Rogério Consolo, pediu socorro à PM, através do 190. Quando os policiais chegaram para prestar o socorro, se dirigiram até o agressor, conversaram em voz baixa e não tomaram nenhuma atitude, de acordo com depoimento das vítimas.Segundo o delegado que atendeu a ocorrência, Gilberto Carlos Fernandes, as vítimas afirmaram que, depois das ameaças e da agressão, o suposto policial à paisana permaneceu tranqüilo, mesmo ao avistar a viatura da PM.?Eles (os turistas) desconfiaram de que algo deerrado estava acontecendo. No final da história, os policiais chamados para o socorro orientaram os turistas a deixar o local e não fizeram nada contra o agressor.?Diante do posicionamento dos policiais militares, os turistas resolveram acionar a direção doComando da PM e levar o caso até a Corregedoria da Polícia Militar em São Paulo. Depois de prestar depoimento à polícia, os turistas foram até o alojamento da PM em Caraguatatuba e reconheceram o policial à paisana, autor das ameaças e da agressão.De acordo com o capitão Valter Padula, há indícios da participação de policiais naagressão e negligência no atendimento, mas ainda não há provas suficientes. ?Estamos instaurando sindicância para apurar todos os detalhes, se houve ou não prevaricação por parte dos policiais.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.