Turistas presos com dólares falsos prestarão depoimento

Os dois jovens argentinos presos no último dia 9 com uma nota falsa de US$ 100, em Florianópolis, serão interrogados na tarde da próxima segunda-feira. Paralelo ao inquérito, que precisa ser encerrado até dia 22, o advogado André Carioni tenta libertar Andres Nicola Cano, de 21 anos, e Tomas Ciarrocchi, de 22. Depois de um pedido de relaxamento da prisão, negado, e de habeas corpus, também negado, hoje ele entrou com um pedido de reconsideração do habeas corpus à Justiça Federal e espera resposta para o início da semana. Os rapazes foram detidos em flagrante quando tentavam pagar uma conta de R$ 6 em um supermercado de Canasvieiras, nonorte da cidade. Eles estão em uma cela da Polícia Federal. De acordo com o consulado argentino em Florianópolis, trata-se dedois estudantes que pertencem a famílias de excelente padrão de vida. Segundo a cônsul-adjunta Fabiana Lopez, a mãe de umdos rapazes disse ter trocado o dinheiro em um banco argentino. "Até o chanceler da Argentina, doutor Rafael Bielsa, já nostelefonou falando a favor dos jovens." A repercussão internacional do caso surpreende o delegado da Polícia Federal, Antônio Borges Filho, que hoje à tarde chegou a dar entrevista para uma emissora de televisão argentina: "É um caso comum, que acontece com muita freqüência aqui em Santa Catarina." A nota de US$ 100 está sendo analisada na sede da Polícia Federal em Brasília, e o resultado da perícia deve sair na próxima semana.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2004 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.