TV Brasil afirma que terceirizado criticou Aécio Neves na internet

A TV Brasil responsabilizou um funcionário da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), que presta serviço à emissora pública, pelas ofensas ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) publicadas no dia 20 no Twitter usado pela rede para divulgar sua programação.

João Domingos / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2011 | 00h00

Na mensagem, que se referia ao fato de Aécio ter sido parado numa blitz de trânsito e sido multado por estar com a carteira de habilitação vencida e ter se recusado a se submeter ao bafômetro, o senador foi chamado de "mentiroso". Rapidamente, o texto foi apagado. A TV Brasil fez um pedido de desculpas, sem citar nomes, e atribuiu a mensagem a um ataque de hackers.

Logo em seguida, a presidente da empresa, Tereza Cruvinel, fez um pedido de desculpas a Aécio Neves. E admitiu que o texto poderia ter sido escrito por alguém de dentro da emissora.

Em nota distribuída ontem, a TV Brasil informou que o funcionário da Roquette Pinto entregou uma carta a Tereza Cruvinel e ao presidente da Acerp, Arnaldo César Jacob, responsabilizando-se pelo texto ofensivo a Aécio. De acordo com a nota da TV Brasil, o funcionário teria participado do episódio "involuntariamente, acreditando estar fazendo o registro em sua conta pessoal".

Ainda conforme os esclarecimentos feitos ontem pela TV Brasil, a mensagem foi parar no Twitter da emissora porque o funcionário utilizava em seu computador uma a ferramenta que tem o poder de memorizar senhas utilizadas pelo menos uma vez naquela máquina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.