TV registra mulher se jogando de prédio

A repórter Laís Duarte e o cinegrafista Marcelo Scano, da TV Cultura, testemunharam uma das cenas mais chocantes do acidente com o Airbus da TAM. Eles registraram o momento em que uma mulher, aparentando menos de 30 anos, se jogou do segundo andar do prédio da TAM Express em chamas, a uma altura de cerca de 15 metros. O avião havia acabado de se chocar com o edifício. Ela bateu a cabeça violentamente no chão e foi socorrida por dois bombeiros e um voluntário. ''''Ela ficou bem na marquise, com outro homem, tentando escapar da fumaça. As pessoas na rua lhe pediam calma, mas, de repente, ela se jogou'''', disse Laís. A equipe da Cultura havia chegado havia menos de cinco minutos, para fazer uma reportagem sobre a derrapagem do avião da Pantanal, na segunda-feira. Quando viu a jovem se atirar, a repórter afirmou ter lembrado de imagem semelhante ocorrida durante o incêndio do Edifício Joelma, no centro de São Paulo, em 1974. ''''Não era nascida naquela época (ela tem 29 anos), mas foi como se eu estivesse na mesma situação.'''' Na hora, ela disse ter se sentido impotente. ''''Eu ouvia gritos de socorro, mas não tinha o que fazer. Era muito arriscado.'''' Apesar do perigo de desmoronamento do prédio, o cinegrafista ficou a cerca de cinco metros de onde a mulher caiu. Scano admitiu que o fato de ter registrado a cena pode lhe trazer projeção profissional, mas afirmou que preferia não estar lá naquela hora. ''''Eu queria não ter visto. Cheguei em casa às 4 da manhã, vi minha mulher e pensei que poderia ser ela. Chorei muito.'''' Em nota, a TV Cultura informou que decidiu não divulgar as imagens da mulher caindo. A Secretaria de Segurança disse que não era possível confirmar que a vítima seria a funcionária da TAM Express Michele Dias Miranda, de 24 anos, cujo corpo já foi identificado e liberado pelo Instituto médico-legal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.