Ubatuba tem três mortes por afogamento no fim de semana

Três mortes por afogamento foram registradas em Ubatuba, no Litoral Norte paulista, no último fim de semana. Os irmãos Eduardo e Bruno Lima de Oliveira, de 20 anos e 18 anos respectivamente, desapareceram quando andavam pela costa da praia Vermelha do Norte na tarde de domingo. Eles estavam na companhia de Aguinaldo, de 17 anos, que também foi levado pela correnteza, mas conseguiu nadar até as pedras e foi salvo. As vítimas moravam em São Paulo e passavam as férias na praia.Também no domingo, na praia da Fazenda, o adolescente de prenome Douglas, de 15 anos, desapareceu no mar, quando passeava de caiaque. O mar estava agitado e a embarcação acabou virando. Desde domingo os bombeiros procuravam as três vítimas pelo mar, em embarcações e também com a ajuda do helicóptero Águia da Polícia Militar.Na noite de segunda-feira, dois corpos foram localizados. O do adolescente Douglas, que morava na cidade de Tremembé, estava no mar, na praia da Fazenda, mesmo local do desaparecimento. Ainda na noite de segunda-feira os bombeiros localizaram o corpo de Bruno, na praia Vermelha do Norte. Até a tarde desta terça-feira os bombeiros ainda procuravam o corpo da última vítima.Em todo litoral paulista, somente neste ano, foram registradas oito mortes por afogamento e outros 422 casos de salvamento no mar. Cerca de mil homens, entre policiais e guarda-vidas temporários, trabalham nas praias neste verão. Os trechos considerados perigosos são sinalizados com placas que indicam se a correnteza está forte, se o mar está bravo ou se há buracos e valas no mar. "Continua valendo o velho ditado: água no umbigo, sinal de perigo. Os turistas devem sempre pedir auxílio aos guarda-vidas", orienta um dos policiais da equipe Salvamar, tenente Ubiratan.Nos últimos dois anos as mortes por afogamento nas praias paulistas tiveram uma redução de 10%. Foram 89 no ano passado e 97 em 2005. Os casos de salvamento no mar tiveram pequeno aumento. Foram 2.911 em 2005 e no ano passado 2.961 casos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.