Uberlândia vira exemplo em saneamento básico

Cidade colhe frutos de ações desenvolvidas nos últimos anos e lidera ranking do Trata Brasil

Rene Moreira, O Estado de S. Paulo

01 Outubro 2013 | 20h25

Com diversos projetos desenvolvidos nos últimos anos na área de saneamento básico, a cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, lidera o ranking do Instituto Trata Brasil divulgado nesta terça-feira (1). O município, que é o próprio responsável pelo serviço, obteve a melhor nota entre as 100 maiores cidades do país. Ele obteve 8,95 pontos numa escala que vai de 1 a 10. O levantamento se refere ao ano de 2011 e aponta que 98,97% têm água encanada em Uberlândia e que 97% contam com o serviço de esgoto. O investimento no município no setor foi de R$ 59,68 milhões, o equivalente a 0,6% da arrecadação municipal. Ainda, segundo o estudo, para universalizar o fornecimento de água faltam fazer 8.141 novas ligações.

No quesito ligações de esgoto faltam realizar 10.825 ligações. Esse número, porém, não é considerado elevado, já que em apenas um ano o município conseguiu computar 6.316 novas ligações. Por sinal, nesse item Uberlândia obteve nota máxima, valendo destacar que do esgoto coletado, 100% é tratado -uma situação bem diferente das demais cidades brasileiras.

Para chegar a esses números e liderar um ranking nacional, Uberlândia vem investindo em ações nessa área há mais de dez anos. Em 2002, por exemplo, o acesso à rede de esgoto no município ficava na casa dos 30%.

Atualmente apenas na área rural é possível detectar algumas poucas propriedades que continuam sem contar com o serviço. Na Vila Marielza a casa do pintor Jairo Pereira é um exemplo da evolução no saneamento.

Até cinco anos atrás ele era obrigado a conviver com uma fossa séptica que era sinônimo de mau cheiro e outros problemas. "Ainda por cima acontecia de entupir sempre, mas a vida passou a ser outra com a rede de esgoto", diz aliviado.

Futuro O diretor-geral do DMAE (Departamento Municipal de Água e Esgoto), Orlando Rezende, disse ao Estado que liderar o ranking do Trata Brasil é algo muito bom, mas que os problemas não acabam porque a cidade está sempre crescendo. Segundo ele, entre os próximos objetivos está o de reduzir ainda mais as perdas de água melhorando a tubulação antiga e combatendo as ligações clandestinas.

Em Uberlândia também existe um planejamento pelos próximos 50 anos, para que a cidade esteja preparada para fornecer água a até 3 milhões de habitantes. Somado a isso há vários projetos, como o Buriti -que garante proteção aos recursos hídricos. Através dele já foram firmadas parcerias com mais de 100 produtores rurais visando proteger mais de mil hectares de área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.