UE aprova negociação com Brasil para eliminação de vistos

Supressão de vistos em estadas curtas não tem "nada a ver" com os problemas entre Espanha e Brasil

Efe,

18 de abril de 2008 | 14h31

A União Européia (UE) aprovou nesta sexta-feira, 18, a negociação de um acordo com o Brasil para eliminar os vistos de curta duração em território brasileiro para os cidadãos de alguns países do bloco europeu, que não exige esse tipo de permissão para que os brasileiros entrem em território da UE.   VEJA TAMBÉM: Saiba como agir se for barrado em aeroporto  Brasil deve adotar medidas contra espanhóis   Os ministros de Justiça e Interior da UE aprovaram o mandato para que a Comissão Européia (órgão executivo do bloco) negocie com as autoridades brasileiras.   A supressão recíproca de vistos não tem "nada a ver" com a recente disputa entre o Brasil e a Espanha sobre a entrada a seus respectivos territórios de cidadãos dos dois países, segundo fontes diplomáticas.   A Espanha, cujos cidadãos não precisam de visto para entrar no Brasil, apoiou este processo, porque entende que é a melhor maneira de conseguir a reciprocidade neste assunto, e também de conseguir uma relação mais ampla e permanente com o País.   O mandato contém as principais linhas diretrizes e as instruções à Comissão para negociar este acordo com o Brasil.   Até 2004, havia uma reciprocidade total entre Brasil e a União Européia, já que nenhum exigia visto para a entrada em seus respectivos territórios. No entanto, após a entrada de dez novos países na União Européia naquele ano, e de mais dois em 2007, os cidadãos de alguns dos novos membros estão sujeitos à exigência de vistos para entrar no Brasil, enquanto os brasileiros continuam tendo isenção para toda a UE em estadias de curta duração.   O Brasil, durante várias rodadas de conversas com a UE, manifestou sua vontade de suprimir essa exigência, mas sua Constituição o obriga a fazer isso através de um acordo internacional, que é o que agora será negociado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.