UE estuda enviar ajuda humanitária a Petrópolis

A União Européia pode ajudar os desabrigados pelas chuvas que têm atingido Petrópolis, na Região Serrana, desde o Natal. Um representante da Echo, órgão de ajuda humanitária da UE, chegou hoje à cidade. Ele vai sobrevoar hoje os bairros mais atingidos pela enxurrada e preparar um relatório sobre os estragos. A ajuda da organização deverá ser em assistência médica e alimentos. Petrópolis tem 870 pessoas desabrigadas, vivendo em 20 abrigos improvisados em escolas municipais.A ajuda da comunidade européia não é o primeiro socorro internacional que a cidade serrana recebe. Durante as últimas semanas, representantes do governo alemão e da Cruz Vermelha daquele país visitaram os desalojados da cidade. Eles decidiram contribuir com colchões, roupas de cama e kits de cozinha (louças, panelas e talheres) e de higiene pessoal. O montante da doação ainda não foi divulgado. "Essa união de esforços dos órgãos públicos com entidades como a Cruz Vermelha é o que o município mais precisa no momento", afirmou o prefeito Rubens Bomtempo, ao agradecer a ajuda. Ainda não parou de chover em Petrópolis, mas a Defesa Civil do município não registrou ocorrências hoje. RessacaDepois de dois dias de ressaca nas praias cariocas, com ondas de até dois metros, o mar voltou a se acalmar. O comandante do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros, coronel Marcos Silva, alertou, porém, que a correnteza permanece forte. "O perigo agora é as pessoas acharem que o mar está calmo e se aventurarem. Valas foram formadas e ainda há riscos para os banhistas", avisou Silva. Não foram registrados resgates hoje, nas praias da zona sul.

Agencia Estado,

18 de janeiro de 2002 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.