UERJ inaugura laboratório pioneiro de mamografia

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) inaugura, no fim deste mês, o primeiro Laboratório de Metrologia em Mamografia do Brasil, que fará a manutenção de máquinas de todo o país para evitar erros no diagnóstico de câncer de mama.O laboratório funcionará como uma "oficina" de mamógrafos e seu trabalho será calibrar (e adequar a padrões internacionais) os níveis de radiação emitidos pelas máquinas.O teste tem que ser feito uma vez por ano, e a novidade é que, agora, os cerca de 1.500 centros que possuem mamógrafos no país poderão fazer o conserto no Brasil.A Uerj vai aceitar pedidos de reparos de hospitais privados e públicos, mas os particulares terão que pagar uma taxa para fazer a manutenção.Segundo Carlos Eduardo de Almeida, professor-titular de física médica do Departamento de Biofísica da Uerj, o objetivo é atender ao maior número de demandas e tentar reduzir os erros nos exames."Quando a máquina não funciona direito, é muito provável que ocorram leituras erradas e diagnósticos falsos. E o pior deles é o falso negativo, porque o câncer não é apontado e fica esquecido."Além de "calibrar" os mamógrafos, o laboratório também vai realizar estudos científicos. Pesquisadores vão avaliar se as doses de radiação emitidas nos exames são corretas e se elas apresentam risco para as mulheres.Há suspeitas, apontadas em estudos científicos, de que pacientes expostos a mamógrafos ou ao tratamento de radioterapia podem desenvolver futuros tumores."Esse laboratório vai funcionar não só como prestador de serviço, mas vai especializar-se em pesquisas na área", afirma Almeida, que também vai coordenar o laboratório.O laboratório foi implantado com o patrocínio da Agência Internacional de Energia Atômica, que investiu US$ 150 mil no projeto. Apesar de ser inaugurado no fim deste mês, o laboratório só começa a calibrar mamógrafos no início do ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.