Último bombeiro preso do movimento grevista no Rio de Janeiro foi solto

Erro de digitação no alvará de soltura fez com que o cabo continuasse preso desde domingo, 19

Agência Brasil,

24 Fevereiro 2012 | 19h14

RIO DE JANEIRO - O cabo do Corpo de Bombeiros Benevenuto Daciolo foi solto na tarde desta sexta-feira, 24, após ser beneficiado por um habeas corpus que revogou o pedido de prisão preventiva decretada pela Auditoria Militar do estado. Daciolo foi preso no dia 8 de fevereiro, quando voltava de Salvador, acusado de incitamento de greve da corporação do Rio de Janeiro. Ele estava preso no Grupamento Especial Prisional, em São Cristóvão.

"Eu quero agradecer primeiramente a Deus. Nós somos homens de bem, de família, querendo o bem de uma instituição maravilhosa. A verdade toda será revelada. A minha luta é pela dignidade", disse Daciolo.

Segundo o advogado de Daciolo, Raul Lins e Silva, um erro de digitação no alvará de soltura fez com que o cabo continuasse preso desde domingo, 19, quando todos os demais líderes foram soltos. "Essa prisão foi totalmente desproporcional. Você não pode manter bombeiros militares em presídios de segurança máxima sob um regime disciplinar diferenciado".

Daciolo cumpriu nove dos 16 dias de prisão no presídio Bangu 1. Ele chegou a fazer greve de fome enquanto estava preso.

Mais conteúdo sobre:
bombeirosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.