Ultrapassagem forçada pode ter provocado acidente que matou dez

Testemunhas devem começar ser ouvidas no decorrer da semana para dar continuidade às investigações

Julio Cesar Lima - Agência Estado,

12 Agosto 2012 | 19h14

CURITIBA - A tentativa de ultrapassagem forçada do veículo Celta, placas APX-7208, de Jaguapitã, no quilômetro 174,5 da rodovia PR-323 entre os municípios de Doutor Camargo e Paiçandu, noroeste do Paraná, pode ter sido a causa do acidente ocorrido no local, sábado, 11, às 18 horas, que envolveu cinco veículos - dois ônibus, uma camionete e uma motocicleta, além do carro - e provocou a morte de dez pessoas e deixou 89 feridos.

Em depoimento prestado à Polícia Rodoviária Estadual (PRE), em Floresta, Luiz Carlos Borian, 58, condutor da caminhonete Ranger, placas ASG- 4619, de Jussara, disse que o Celta, dirigido por Sandro Rebonato, 26, morto no local; que trafegava no sentido Doutor Camargo-Maringá, invadiu parcialmente a pista contrária - o local permitia ultrapassagem - e bateu na lateral do ônibus da empresa Tunas, placas LZH-3953, de Tunas do Oeste.

"O ônibus da Tunas se perdeu e bateu no outro ônibus. Ao mesmo tempo a moto tentou desviar e também bateu", diz o depoimento, destacando que a Ranger estava atrás da motocicleta e foi o último veículo entre os cinco a se envolver. A moto era de Apucarana, com placas ATN- 8209, já o ônibus da Viação Maringá tinha placas AQX-3917.

Segundo o sargento Clóvis, a Polícia Científica, que esteve no local do acidente horas depois, as testemunhas devem começar ser ouvidas nesta semana para dar continuidade às investigações. Ele também disse que o trecho não é perigoso, mas exige paciência dos motoristas. "Não é uma pista ruim, mas como estamos em um período de safra, trafegam muitos caminhões com soja, milho, feijão, e os motoristas precisam de paciência. Infelizmente muitos acidentes acontecem por imperícia ou imprudência".

O ônibus da Tunas Tur, com 51 pessoas, viajava de Tapejara para Maringá, onde segundo depoimentos levaria um grupo de evangélicos para passar um dia de recreação no Parque Ingá, em Maringá. Havia 32 crianças no veículo, mas não havia a confirmação de mortes de alguma delas. O outro ônibus envolvido no acidente, da Viação Maringá, transportava 42 pessoas.

Os corpos foram encaminhados para o IML de Maringá e no início da noite os funcionários atendiam os familiares que chegavam de diversos pontos para fazer o reconhecimento. Já os feridos foram levados para o Hospital Universitário de Maringá, Hospital Santa Rita e Santa Casa também de Maringá; Santa Casa de Cianorte e Hospital de Sarandi. Os resgates das vítimas envolveram 70 pessoas, entre policiais, bombeiros e enfermeiros dos serviços de emergência da região.

Mais conteúdo sobre:
acidente Curitiba Paraná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.