Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Um avião da TAM teria visto fogo no Atlântico, diz Alencar

Ele afirmou que foi prestar informações em nome presidente Lula e ouvir os familiares

Felipe Werneck e Alberto Komatsu, de O Estado de S. Paulo,

01 de junho de 2009 | 19h06

O presidente da exercício, José Alencar, afirmou no início da noite desta segunda-feira, 1, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro que a Força Aérea Brasileira (FAB) procurava detalhes sobre supostos destroços que teriam sido vistos em chamas próximo ao local do desaparecimento do Airbus da Air France. Alencar disse que as informações seriam de um piloto da TAM, mas destacou que ainda não se sabia exatamente o que seriam os supostos destroços. O presidente em exercício chegou ao aeroporto no fim da tarde, cumprindo missão passada pelo próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em viagem por El Salvador, Guatemala e Porto Rico e com volta prevista para a próxima quinta-feira.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o voo 447

Voo 447 reportou pane antes de desaparecer dos radares

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

lista Voo 447: Confira os passageiros confirmados até o momento

som Podcast: Especialista não tem dúvidas de que avião da Air France caiu no mar

som Podcast: Coronel da FAB fala sobre o desaparecimento do avião da Air France

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

mais imagens Veja Galeria de fotos

especial Anac monta sala no Galeão para familiares; veja telefones de contato

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

Airbus pode ter sido atingido por raio durante tempestade

Voo 447 pode ter tido problemas em zona intertropical

'Eu fiquei branco, não sabia o que fazer', diz brasileiro em Paris

Veja nomes de passageiros confirmados no voo da Air France

 

 

 

 

 

"Estou aqui a pedido do presidente Lula, que está fora do Brasil, senão ele estaria aqui", afirmou. "Ele me telefonou e pediu que viesse, para trazer um abraço de solidariedade do governo e dar informações e providências tomadas pela FAB e pela Marinha brasileira."

 

Segundo ele, Lula lhe dissera que, se ele, por estar saindo de um "tratamento pesado" (Alencar luta contra um câncer), não pudesse ir ao Rio de Janeiro, suspenderia a viagem pela América Central e Caribe e voltaria ao Brasil. "Mas é claro que eu poderia vir, como estou aqui", disse, ressaltando que o presidente Lula seguirá com compromissos que são importantes para o País, no exterior.

 

Alencar deu entrevista após conversar com parentes dos desaparecidos, em um espaço reservado do aeroporto, para o qual seguiu assim que chegou. Segundo ele, os familiares fizeram perguntas a respeito de aparelhos de radar, sobre as buscas, e demonstraram "muita serenidade, muita calma e fé em Deus". "Para Deus, nada é impossível. Há que considerar que ele possa ter pousado em algum lugar, mas não temos informações", afirmou.

 

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), também foi ao aeroporto para prestar solidariedade às famílias dos passageiros do voo AF 447. Segundo ele, a Força Aérea Brasileira conta com a cooperação do governo francês, que disponibilizou uma aeronave para colaborar com as buscas. De acordo com Cabral, o governo americano também já se colocou à disposição para qualquer tipo de apoio ao governo brasileiro.

 

"Foi perguntado pelas famílias ao brigadeiro Saito (comandante da Aeronáutica Juniti Saito), que estava presente, se havia limite para as buscas. O vice-presidente José Alencar e o brigadeiro Saito fizeram questão de dizer que não há limite. Serão semanas de procura enquanto for necessário para que se chegue ao fim conclusivo", disse o governador. Cabral disse ainda que as famílias estão se comportando tranquilamente, estão serenas, mas segundo ele, ansiosas e tristes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.