Um banquinho e um microfone para fazer rir

Clubes em SP e no Rio reúnem humoristas para afinar técnica do stand up comedy, no estilo americano

Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

19 de janeiro de 2008 | 00h00

Você sabe o que é o ego, né? É um pequeno jornalista que todos levamos dentro de nós.Não, sério agora, e essa epidemia de ligações do golpe do falso seqüestro, hein? Eu nunca entendi direito como os detentos conseguem usar celular. Ao meu ver, se o cara foi parar na cadeia, é porque perante a sociedade ele ficou sem créditos... Pô, Romário virou técnico do Vasco, você viu no caderno de Esportes? Acho que isso significa que só faltam 798 jogos para a milésima atuação dele no comando do time.No país da piada pronta, a comédia sempre tendeu a ser mais física, escrachada, repleta de estereótipos e lugares-comuns. Fazer humor apenas com fatos do cotidiano, em primeira pessoa, sem maquiagem, sem personagens para interpretar, sem figurino espalhafatoso ou qualquer outro tipo de muleta sempre pareceu mais difícil e arriscado. É um tipo de humor bem americano, chamado por lá de stand up comedy, a comédia em pé. Ou faz-se com muita competência - a exemplo de José Vasconcelos, Chico Anysio e Jô Soares -, ou corre-se o risco de virar algo totalmente sem graça. Como, talvez, nos parágrafos acima. O desafio de encarar o público, no entanto, está fazendo com que muitos humoristas paulistanos e cariocas se unam em clubes de comédia para desenvolver e afinar essa técnica."Muitos grupos de stand up comedy estão aparecendo, o que ajuda até a renovar o humor brasileiro", diz Claudio Torres Gonzaga, ator, diretor de teatro e redator da TV Globo. Em 2005, ele juntou os amigos Fernando Caruso, Fábio Porchat e Paulo Carvalho para criar a trupe carioca Comédia em Pé - que se apresenta nos teatros do Shopping Barra Square e no Shopping da Gávea, ambos no Rio. "É como fazer uma crônica, um jornalismo do dia-a-dia com humor. Se acontece algo de manhã, você pode colocar na sua apresentação à noite. É um humor mais espontâneo, descompromissado, sem amarras."O stand up comedy tem lá suas regras. O comediante só pode se apresentar sozinho. Nada de cenografia, além de um banquinho e o microfone. E não pode usar piadas que já caíram em uso popular. "Sempre mudamos o texto semanalmente", conta Gonzaga. "Antes de usar algo como piada, conto para os parentes e amigos mais próximos como se fosse uma história normal. Se eles rirem, está aprovada para ser usada no repertório."Esse tipo de humor americano tem suas raízes em diferentes tradições do entretenimento popular do final do século 19 - como o vaudeville, o teatro iídiche e os números cômicos circenses. A tradição, iniciada por Jack Benny e Bob Hope, passou a ser perpetuada por quase todos os comediantes de lá, de Richard Pryor a Jim Carrey, passando por Bill Cosby, Jerry Seinfeld e Robin Williams."Todo humorista americano começa no stand up, faz parte da cultura deles", diz o publicitário Danilo Gentili, um dos principais humoristas dessa "nova geração". São Paulo tem dois núcleos de stand up que fazem sucesso e lotam suas apresentações - o Clube da Comédia, que se apresenta às segundas e domingos no Bleecker Street, na Vila Madalena, e o Comédia Ao Vivo, em cartaz toda segunda no Bar Ao Vivo, em Moema. Gentili faz parte das duas formações. "É complicado fazer esse tipo de piada de senso comum, às vezes é como tirar leite de pedra", diz. "Temos de pegar uma situação rotineira, que ninguém acha graça, e fazer piada. Mas a satisfação é muito maior, porque as gargalhadas estão ali, logo na sua frente."OS 10 MANDAMENTOS DA COMÉDIA EM PÉ 1 - O comediante só pode se apresentar sozinho 2 - Só é permitido se apresentar com texto próprio. Não pode usar piadas que já caíram em uso popular ou foram recebidas pela internet. Muito menos usar aquele truque muquirana de contar a anedota como se o fato tivesse acontecido de verdade, tipo "eu tenho um tio português..." 3 - Não interpretar personagens 4 - Evitar contar casos 5 - Deixar bem clara a persona de cada um. Não tente fingir ser quem você não é. Seja você mesmo, sempre. Se você é mal humorado, seja assim no palco, por exemplo. 6 - Não é permitido o uso de trilha sonora ou qualquer tipo de sonoplastia 7 - Não é permitido fazer nenhuma marcação de luz. Use apenas a iluminação básica do palco 8 - Não é permitido o uso de cenografia ou adereço 9 - Os comediantes podem e devem testar material novo diante da platéia 10 - Não forçar a barra. Se você tem apenas cinco minutos de material, faça uma apresentação de cinco minutos e saia. Tudo bem. Não enrole

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.