Um em cada três detidos é europeu

A Europa responde pela maior fatia de "funcionários" do narcotráfico presos em Guarulhos até este mês: 37%. Em 2008, europeus estavam na terceira posição. Antes, a liderança pertencia à América do Sul, que foi para o segundo lugar, com 30%. Os africanos vêm em seguida, com 24%. Asiáticos aparecem em último.Para a PF, a mudança decorre do crescimento gradativo, de 2008 para cá, do agenciamento de romenos e de búlgaros. Outro sinal do maior envolvimento dos europeus é o volume de apreensão de dinheiro. Até este mês, recolheram-se mais euros, 628 mil, do que dólares, 534 mil. Em 2008, ocorria o inverso com as mulas. O recrutamento de "mulas" é feito majoritariamente no exterior. Trazido para a capital paulista, o candidato fica em hotéis na região central. Lá, recebe as instruções sobre como agir e uma pequena quantia de dinheiro. O pagamento completo, que pode chegar a US$ 5 mil, é dado apenas se a missão for cumprida. Hoje, a PF considera inviável definir o modelo padrão das "mulas". Há de todas as idades, raças e classes sociais. Às vezes, utilizam-se até crianças. Mas a maioria dos presos ainda é homem: 59%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.