Um fantasma que atormenta o PT há 9 anos

O assassinato de Celso Daniel, classificado pela promotoria como um "delito emblemático", é um fantasma que atormenta o PT. As suspeitas sobre dirigentes do partido surgiram a partir do relato do médico João Francisco Daniel, irmão do prefeito executado. Ao Ministério Público ele contou que ouviu de Gilberto Carvalho que parte do dinheiro desviado era levada para José Dirceu, então presidente do PT. Dirceu nega a acusação e foi à Justiça contra João Francisco.

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2010 | 00h00

O caso também incomoda o Ministério Público, fustigado pela defesa de Sérgio Sombra perante o Supremo Tribunal Federal, sob alegação de que a promotoria não tem poder de investigação. Ontem, o juiz Antonio Hristov fez defesa pública da promotoria. "Se a Constituição atribui ao Ministério Público a titularidade da ação penal, seria um contrassenso não se admitir que possa produzir provas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.