Um fugitivo da própria vida

Há também quem queira "fugir da própria vida". É o caso do porteiro Dennis Toshi, cujo sumiço ficou célebre em 2002, quando seus pais julgaram ter visto o rapaz na TV, numa reportagem sobre os mendigos de Tóquio, durante a Copa do Mundo. À época, havia cinco anos que Dennis, que morava no Japão desde 1993, não dava notícias. No fim, a imagem não era de Dennis, mas a repercussão fez o rapaz ser encontrado. "Fugi para escapar das lembranças que tinha antes, dos maus bocados na minha família", conta. Hoje, aos 33 anos, voltou a Sorocaba (SP), onde mora com a mãe. "Não fujo mais. Tem de encarar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.