Um monumento de Niemeyer, presente brasileiro para Paris

O arquiteto Oscar Niemeyer, de 96 anos, estápreparando o Monumento à Paz, obra de 10 metros de altura por 15 metros de largura, que será doado a Paris. O esboço doprojeto já foi mostrado ao prefeito da capital francesa, Bertrand Delanöe, que está em visita no Rio. Ele pensa em instalar a escultura na Praça da Bastilha.No seu jeito simples, Niemeyer referiu-se à escultura em aço que prepara como um ?monumentozinho à paz?. Ele desenhouuma mão vazada, que leva uma flor também vazada. ?É um croqui que surge no espaço. Fiz uma mão com uma flor, algo quepasse solidariedade, uma coisa vaga, como um sonho?, disse o arquiteto, que prefere que não sejam feitas fotos do esboço, atéque o projeto esteja concluído, no mês que vem. Niemeyer classificou de agradável o encontro com o prefeito Delanöe. ?Ele é muito simpático?, disse. O Monumento à Paz será inaugurado em 2005, instituído o ano do Brasil na França pelo governo daquele País. O arquiteto não cobrará pelo projeto, que deve ser financiado pela iniciativa privada. ?Não é um negócio. Convidaram-me para colaborar com essa homenagem. Eles gostam de ter obras minhas lá?, disse Niemeyer.O affair de Niemeyer e Paris vem de longa data. Foi na capital francesa que o arquiteto se instalou depois de sofrer perseguição política durante o governo militar. O escritório dele no Rio chegou a ser invadido e ele foi interrogado pela polícia. Na França, Niemeyer recebeu uma autorização especial para trabalhar como arquiteto francês. Paris foi recompensada: eleprojetou a sede do Partido Comunista de Paris. Em 2002, a cidade retribuiu o carinho do arquiteto com a exposição OscarNiemeyer 90 anos, na Galerie Nationale du Jeu de Paume. Agora, ele volta a homenagear a cidade-luz.

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2004 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.