Uma evidência de que a causa da morte de Schincariol teria sido assalto

O empresário José Nelson Schincariol, de 60 anos, dono da cervejaria Schincariol, assassinado no início da semana quando chegava em casa, em Itu, teria lutado com seus agressores antes de ser baleado. Segundo um policial que esteve no local logo após o crime, havia evidência de luta, o que corroboraria a tese de tentativa de assalto.Vários objetos estavam espalhados pelo chão. A porta dianteira do carro, do lado do motorista, e a do porta-malas, estavam abertas. A seqüência de tiros, segundo ele, também sugere ter havido reação."Houve um primeiro tiro, um lapso de tempo, em seguida outros dois." O primeiro tiro foi disparado provavelmente pelo bandido que não estava atracado com o empresário. Os outros disparos teriam sido feitos após sua queda. Segundo ele, a seqüência deve ser confirmada pela perícia.Como as investigações estão sob segredo de justiça, o policial não pode se identificar. Essa versão, se confirmada, derruba a outra hipótese aventada para o crime, de que o empresário teria sido executado por vingança. De acordo com o policial, no último jogo do Ituano, domingo, Schincariol pagou várias rodadas de cerveja para os torcedores. "Ele estava com um pacote de dinheiro no bolso e grana viva sempre chama a atenção de pessoas mal intencionadas", disse. As investigações estão sendo comandadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de São Paulo. Os avanços não estão sendo divulgados. A polícia investiga o paradeiro de outro suspeito que, após o crime, teria viajado para o Nordeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.