Uma sugestão interessante

Carta 19.132 Li os art. 72 e 73 do Código de Trânsito que dizem que todo cidadão tem o direito de sugerir alterações em normas, leis e normas de trânsito, e que os órgãos responsáveis têm de responder aos pedidos após análise. Assim, peço apoio para esta reivindicação, pois há um ano peço mudanças nas normas de uso do Elevado Costa e Silva (Minhocão) e já até já escrevi ao secretário Matarazzo. O elevado deveria funcionar segundo o rodízio, das 7 às 20 hs de 2.ª a sábado, incluindo pontes e instalação de controle de velocidade para reduzir o ruido, já que os motoristas não respeitam as normas. A instalação de cancelas eletrônicas para fechar no horário evitaria que motos e carros usassem a via. Peço ainda o fechamento do acesso à Pça. Mal. Deodoro, para maior uso da São João. As medidas reduziriam os custos com carros da CET, melhorariam a condição de vida dos moradores e até aumentariam o lucro da Prefeitura. RUBENS PIRES Santa Cecília O secretário responde: "Encaminhei a sugestão à CET para que verifique a viabilidade técnica da instalação de cancelas eletrônicas. Sobre a redução do limite de velocidade e uma possível economia no número de carros, o elevado foi criado para ser uma via de trânsito rápida, com o objetivo de desafogar o fluxo de carros da São João e Amaral Gurgel. A questão do funcionamento é delicada, já que o horário (2.ª a a sábado das 6h30 às 21h30) foi estipulado com base no movimento de veículos." ANDREA MATARAZZO Secretário das Subprefeituras Carta 19.133 Taxa para bombeiros Recebi cobrança da prefeitura de São Sebastião a vencer em 20/8 (Lei Complementar 79 de 19/12/06) de taxa de serviço dos bombeiros. Eles merecem, mas já pagamos IPTU, que aumentou muito nesses anos; não importa que a taxa seja pequena, tenho um terreno na cidade e o que me revolta é que futuramente criarão mais taxas, como se o contribuinte fosse uma fonte inesgotável de recursos. TÂNIA TAVARES Vila Mariana A prefeitura responde: "A cobrança da taxa de serviço de bombeiros é constitucional, aprovada em dez/2006 e cobrada a partir de 20/8. A corporação propôs o projeto para melhorar a estrutura e equipamentos e o recurso será repassado integralmente ao Fundo Municipal dos Bombeiros, gerenciado por representante da prefeitura e pelo Conseg. O município tem 100 km de extensão e uma barreira geográfica a considerar, principalmente se houver um sinistro na costa sul, onde estão as praias de Maresias, Camburi e Juquehy. Na região não há nenhum posto de bombeiros e esta é uma antiga reivindicação da comunidade. Com o recurso, poderemos instalar um posto na região. A prefeitura tem parceria com o governo do Estado, o órgão estatal paga o salário dos bombeiros, e despesas com o conserto de viaturas, combustível e alimentação são pagas pelo município, para que a corporação não feche. A taxa será cobrada pela tabela de carga de incêndio específica do CB (valor calorífico do imóvel medido em megajoules). Imóveis de baixo risco são os de até 300 MJ. A taxa para a categoria é de R$ 0,00050 por MJ, o que equivale a R$ 0,15 (R$ 15 para imóvel de 100 m² edificados). Para terrenos, o índice de risco baixo é 80 MJ (R$ 0,04 o m²)." Carta 19.134 ?Piscina de mosquito? Alerto para um possível foco de dengue no Aeroporto de Cumbica. No dia 19/8, parei o carro no estacionamento do Terminal 2 e vi, no bosque de eucaliptos próximo, um pneu cheio d?água pendurado de uma árvore. Parecia uma piscina para os Aedes aegypti. Será? MILTON GAMEZ Perdizes A Sucen responde: "A Superint. de Controle de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde, pelo Serviço Regional 1- Região Metropolitana SP, mantém rede de armadilhas entomológicas (para insetos) em todos os aeroportos da região, para monitoramento da presença do mosquito vetor da dengue. Se forem constatadas formas imaturas (larvas e pupas) do mosquito, providenciamos as medidas recomendadas no Programa Nacional de Controle de Dengue. Um dos tipos de armadilha é exatamente pneus instalados em locais estratégicos e identificados. O Aeroporto Internacional André Franco Montoro (Cumbica) tem 142 armadilhas espalhadas nas instalações, 12 no estacionamento do aeroporto." AGNALDO NEPOMUCENO DUARTE Diretor do SR 01 da Região Metropolitana de São Paulo

O Estadao de S.Paulo

28 Setembro 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.