Umidade do ar cai a 17% e temperatura atinge 35º graus

A umidade do ar chegou nesta quarta-feira a 17%, na capital paulista, segundo medição das estações meteorológicas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). A temperatura, recorde do mês, foi de 35,1 graus, idêntica à registrada em 25 de fevereiro. Segundo a Assessoria de Imprensa do CGE informou que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), taxas entre 12% e 20% de umidade relativa do ar se caracterizam como estado de alerta.Por isso, especialistas recomendam que as pessoas evitem circular nos parques - onde é grande a concentração de ozônio -, ou praticar exercícios físicos entre 10 horas e 16 horas.?Antes do outono chegar a capital teve uma frente fria que quebrou uma seqüência de dias quentes, mas o ar seco voltou?, afirmou a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Ester Regina Ito. ?A tendência no início de abril é a chegada de uma frente fria.?No outono não é comum ocorrer altas concentrações de ozônio. ?Mas, em um dia de radiação intensa como hoje (ontem), somado a ausência de ventos, o que faz com que os poluentes não sejam dispersados. Com isso, há uma alta concentração do mau ozônio?, disse o gerente de qualidade do ar da Cetesb, Jesuíno Romano. ?O Ozônio causa problemas respiratórios, principalmente, em crianças e idosos, ardência nos olhos e nas vias respiratórias.? É possível checar a qualidade do ar no site da Cetesb

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.