Umidade na capital fica abaixo de 21%, segundo CGE

Todas as dez estações de medição de São Paulo registraram índices de umidade relativa do ar abaixo dos 21%, de acordo com as medições do Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE). A zona leste teve as piores marcas da capital: 12% em Ermelino Matarazzo e 17% em Itaquera. A Organização Mundial de Saúde estabelece limite mínimo de 30% para não causar problemas respiratórios. Pela previsão, não haverá chuva até sábado e a massa de ar seco continua forte na cidade. Já nas medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o menor índice foi de 27%, no Mirante de Santana, perto das 15 horas. Outros registros: 31% no Campo de Marte e 34% em Congonhas e na Água Funda (unidade do Instituto Astronômico e Geofísico da USP). De acordo com o Inmet, em setembro, a menor umidade registrada foi de 21%, no dia 8. O índice mais baixo do ano ocorreu nos dias 25 e 26 de agosto: 15%. Pela previsão do Inmet, a umidade cai ainda mais na capital e no interior, de amanhã até sábado. Os índices à tarde devem oscilar entre 12% e 20%. SEM ESFORÇO Por causa da baixa umidade relativa do ar, as Secretarias Municipal e Estadual de Educação recomendaram aos professores reduzir o esforço dos estudantes ao ar livre durante as aulas de Educação Física. No caso do Município, até um comunicado foi publicado ontem no Diário Oficial com o objetivo de reforçar que a prática de esportes não é indicada para estudantes em dias de clima muito seco. A orientação é beber muito líquido e proteger a pele com filtro solar.

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2012 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.