UnB utiliza a internet para denunciar furtos dentro do câmpus

Homem se identificou como professor e entrou nas dependências da TV da universidade para levar laptops

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

16 de julho de 2010 | 05h31

SÃO PAULO - A direção da Universidade de Brasília (UnB) espera, com o auxílio da internet, diminuir o número de furtos que vêm ocorrendo dentro do campus e a chegar ao responsável por uma das últimas ações, ocorrida no dia 8 de julho no interior da UnB TV.

Veja imagens do furto

Segundo informações e imagens divulgadas pelo site da universidade, um homem, de pele branca e cabelo curto, vestindo camisa e calça social, entra na UnB TV, aperta a mão do vigilante, se identifica como professor e segue em direção à sala de edição de vídeos. Fotos do homem de barba rala e cabelos castanhos, que vestia tênis e relógio de pulso, estão espalhadas pelas portarias da universidade.

Depois, olha, mexe na estante e encontra uma minicâmera, escondendo-a dentro da calça; depois sai, passa por mais duas salas, onde revira objetos, até chegar ao banco de imagens, de onde pega dois laptops e os coloca numa sacola a tiracolo. Depois de circular por cinco minutos e deixar o setor, às 20h32, acena, agradece e deseja boa noite ao funcionário da segurança.

A sequência foi registrada pelas câmeras do sistema de segurança da UnB TV. A Polícia Federal esteve no local para coleta de impressões digitais e depoimentos na última segunda-feira, 12. Há suspeita de participação de um segundo criminoso. As imagens mostram um segundo homem, de casaco preto, do lado de fora do lugar. Ele teria recebido parte dos objetos antes de o jovem retornar para pegar a fonte de uma câmera portátil furtada.

Casos

De janeiro a junho deste ano, 70 furtos foram registrados pela Coordenadoria de Proteção ao Patrimônio (CoPP) da UnB, sendo que 33 deles semelhantes ao ocorrido na UnB TV. Os demais foram no interior de veículos. A maioria dos furtos praticados na UnB são cometidos por pessoas que conhecem o cotidiano da instituição, segundo levantamento do CoPP.

"São pessoas que tem acesso às chaves, que sabem quais portas ficam abertas e usam de má-fé para furtar", disse o coordenador do CoPP, Edmilson Lima, que pede que denuncias de crimes nos campi sejam comunicados pelo telefone (061) 3107-5847.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.