CLAYTON DE SOUZA/AE
CLAYTON DE SOUZA/AE

Unesco escolhe Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade

Conjunto Moderno criado por Oscar Niemeyer e construído entre 1942 e 1943 entrou para a lista da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura

Andrei Netto CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2016 | 08h35

O Conjunto Moderno da Pampulha, de Belo Horizonte, obra do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, foi inscrito neste domingo, 17, como Patrimônio Cultural da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A entidade, que tem sede em Paris, fez a escolha durante a 40ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, realizada em Istambul, na Turquia. A mesma decisão se aplica à obra moderna do arquiteto francês Le Corbusier, mentor do brasileiro.

A decisão deveria ter acontecido no sábado, mas foi adiada em razão da tentativa de golpe de Estado na Turquia, que resultou em afrontamentos nas ruas e crise política grave no país. O trabalho de Niemeyer faz parte de uma lista de mais de uma dezena de sítios e conjuntos de obras arquitetônicas alçadas à condição de patrimônio pela Unesco. O conjunto moderno da Pampulha inclui ainda projetos paisagísticos do paisagista Roberto Burle Marx, painéis de Cândido Portinari e esculturas de José Alves Pedrosa, Augusti Zamoyski e Alfredo Ceschiatti.

A obra é formada por cinco prédios, a Igreja São Francisco de Assis; o Cassino - hoje Museu de Arte da Pampulha; a Casa do Baile - hoje Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte; e o Iate Tênis Clube. Todos foram construídos entre 1942 e 1943. A eles se somou um quinto prédio, a residência Juscelino Kubitschek, hoje Casa Kubitschek, que data de 1943. Todas as construções são articuladas pelo Lago da Pampulha, um espelho d'água artificial.

Um dos marcos da arquitetura moderna brasileira e mundial, a Pampulha tem todos os conceitos de base do estilo arquitetônico que marcou o século 20, como o uso de concreto armado, a planta livre e as janelas e fachadas em vidro.

A escolha da Pampulha foi anunciada por volta do meio dia, horário local. Via Twitter, a Unesco confirmou a decisão: "Acaba de ser inscrita como Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco o sítio do Conjunto Moderno da Pampulha", do Brasil.

Além da escolha do sítio brasileiro, o trabalho de outro arquiteto símbolo do modernismo, Le Corbusier, também foi contemplado pela Unesco. Um total de 17 obras do mestre modernista, dos quais 10 na França e sete espalhados por Alemanha, Argentina, Bélgica, Índia, Japão e Suíça, também foram integradas à lista da organização.

Um total de 29 pedidos de classificação como Patrimônio Cultural da Humanidade estavam em análise no evento. Sítios como o de Philippi, na Grécia, o de Antequera Dolmens, na Espanha, o complexo de Gorham's Cave, no Reino Unido, e o de Ani, na Turquia, já haviam sido escolhidos na sexta-feira. Até a sessão de Istambul, que ainda está em curso, a Unesco contabilizava 1.031 sítios do mundo em sua lista de patrimônio cultural, espalhados por 169 países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.