União deve reconhecer sua responsabilidade no Rio, diz Lula

'Se somar os esforços e não ficar discutindo merreca de dinheiro, a gente pode resolver', afirma presidente

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S. Paulo,

28 de outubro de 2009 | 13h52

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira, 28, que a contribuição da União para o combate ao crime organizado no Rio de Janeiro "não tem limite" e que é preciso que o governo federal reconheça a responsabilidade, além do governo do Estado, no enfrentamento da violência.

 

Veja também:

linkPresídios de segurança média podem ser feitos no Rio, diz Tarso

linkSem investimentos, Rio não estará pronto para 2016, diz Tarso

linkAdolescente morre baleado durante operação da PM no Rio

 

"Se somar os esforços e não ficar discutindo merreca de dinheiro, a gente pode resolver", afirmou o presidente em entrevista coletiva pouco depois de inaugurar um ginásio esportivo na Vila Olímpica da Favela da Mangueira. O presidente repetiu o que havia dito no discurso de que não é fácil enfrentar a violência.

 

"Se fosse fácil teria resolvido em 2006, em 2005 e em 2004. Não é fácil quando se lida com gente anormal. O bandido é anormal. Nós somos normais. Se você tivesse com um arma apontada para minha cabeça eu estava tremendo", disse Lula a um repórter. "Temos que mostrar ao mundo que o estado brasileiro e a parte boa da sociedade brasileira tem mais força que o crime organizado", disse o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaviolênciaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.