Único ex ausente no almoço, Lula é criticado por FHC

Tucano elogia Dilma pelo ''convite pessoal'' e ironiza seu sucessor, que jamais o convidou para nada: ''Achou que não era necessário''

Lisandra Paraguassu e Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2011 | 00h00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, chamado por Barack Obama de "o cara", foi o único ausente entre os ex-chefes de Estado brasileiros convidados para participar do almoço oficial ontem no Itamaraty com o presidente americano. Lula foi convidado, mas preferiu ficar em São Bernardo para comemorar o aniversário de um de seus filhos.

Lula não aceitou o convite para o almoço com Obama para evitar constrangimentos diplomáticos já que a relação entre ambos ficou estremecida por conta de posições políticas do petista favoráveis ao Irã. Informalmente, a desculpa pela ausência é que Lula está de "quarentena" e não quer que sua presença, em solenidades oficiais, rivalize com a da presidente Dilma Rousseff.

É praxe do Ministério das Relações Exteriores convidar os ex-presidentes para eventos importantes no Itamaraty. A presidente Dilma Rousseff, porém, telefonou para Fernando Henrique Cardoso para convidá-lo. No discurso ontem, Dilma saudou FHC durante o brinde. Também estavam presentes os ex-presidentes Itamar Franco, Fernando Collor de Mello e José Sarney.

"Achei uma gentileza, senão não teria vindo", disse Fernando Henrique sobre o convite da presidente. "Em matéria de Estado, quando se está representando o País, não cabem divisões partidárias. A presidente Dilma demonstrou que tem compreensão correta dessa matéria", afirmou.

O tratamento igualitário dado por Dilma aos ex-presidentes, apesar de sua proximidade com Lula, foi elogiado por FHC. "Não é necessário tratar um como Deus e outro como demônio. "Aí não dá", afirmou.

Fernando Henrique ironizou o fato de o petista, na condição de presidente, nunca tê-lo convidado, como fez Dilma. "É que o Lula é meu amigo de tantos anos atrás e achou que não era necessário", afirmou. E alfinetou: "O Lula, quando eu era presidente, esteve comigo. Muitas vezes".

Passado. A relação de Lula com Obama esfriou no final do mandato do brasileiro por causa da negociação do Brasil com o Irã em torno do programa nuclear iraniano. Lula, em parceria com o governo turco, negociou para que o regime iraniano não fosse alvo de sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, mas foi mal sucedido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.