Único hospital público de São Vicente pode fechar

Ameaçado por séria crise financeira, que agravou-se nos últimos tempos, o único hospital público de São Vicente - o São José - corre o risco de fechar suas portas no próximo dia 31, se não for socorrido a tempo. O provedor Carlos Gigliotti culpa a administração do ex-prefeito Luiz Carlos Luca Pedro (PT), que governou a cidade entre 1993 e 1996, pelo agravamento da crise. O hospital passou por intervenção municipal naquele período, fator apontado como responsável pelo seu endividamento, hoje de R$ 70 milhões.Com um déficit financeiro mensal de R$ 300 mil, o São José ainda mantém os salários dos 600 funcionários em dia. Mas a Pediatria e a Maternidade, dois setores terceirizados do estabelecimento, já não estão mais atendendo desde o início desta semana, uma vez que os médicos não recebem seus salários há seis meses.Para o secretário de Saúde de São Vicente, José Roberto Rodrigues de Lima, a solução para evitar o fechamento seria estabelecer uma gestão tripartite, com o município, o estado e a irmandade mantenedora respondendo pela administração do hospital. "A ação objetiva negociar as dívidas com os credores, investir na adequação dos setores e nas equipes essenciais ao atendimento pelo Sistema Único de Saúde", disse. Lima acredita que esta medida é melhor do que a intervenção. "A gestão tripartite permitiria um controle do dinheiro aplicado no hospital", disse. Ele lembrou que, para evitar eventuais prejuízos à população do município, a Secretaria da Saúde acaba de estabelecer um acordo com a Santa Casa de Misericórdia de Santos, a fim de reservar de oito a dez leitos diários para as gestantes, para assegurar os 250 partos por mês, antes assistidos pelo São José.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.