Universitária envolvida em assaltos em Campinas é transferida

A estudante de Direito, Ana Paula Jorge Sousa, acusada pela Promotoria do Estado de integrar suposta quadrilha de assaltantes a casas lotéricas e residências de Campinas, no interior de São Paulo, foi transferida nesta quinta-feira, 12, da Cadeia Feminina de Indaiatuba para a Penitenciária Feminina de Campinas. O motivo da transferência teria sido a superlotação na cadeia, com capacidade para 35 mulheres e ocupação por pelo menos 150 presas. Outras quatro detentas de Indaiatuba também foram transferidas. A ex-universitária de 21 anos que morava em um prédio de alto padrão no Cambuí, bairro nobre de Campinas, estava presa com a mãe do ex-namorado Raoni Renzo Miranda, 18 anos, também acusado de integrar a quadrilha, e com a companheira de Orlando Carpino, 25 anos, outro suposto assaltante do mesmo grupo. O advogado da estudante, o criminalista Ralph Tórtima Stettinger, considerou a transferência positiva. "Era calamitoso ela estar com a mãe e a mulher de co-réus do processo pelo qual responde", afirmou. A versão da defesa é de que Ana Paula apenas ajudava três rapazes - um deles o então namorado - na fuga dos assaltos, com o Astra de seu pai.

Agencia Estado,

12 Abril 2007 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.