Universitários fecham Linha Vermelha em protesto no Rio

Fechada por 35 minutos, via teve lentidão; Batalhão de Choque dispersou alunos com bombas de gás

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2008 | 14h41

Por volta das 11 horas desta sexta-feira, 30, cerca de 500 estudantes de instituições federais fecharam a via expressa da Linha Vermelha, próximo à Cidade Universitária da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), para protestar contra o sucateamento de hospitais universitários. O Batalhão de Choque da Polícia Militar lançou bombas de gás para dispersar a manifestação. O trânsito ficou interrompido por 35 minutos. Muitos dos estudantes vestiam jalecos brancos e levavam cartolinas. Alguns deles disseram ter ficado queimados com a ofensiva do batalhão. A PM foi chamada e determinou o fim da manifestação. Diante da recusa dos estudantes, as bombas foram lançadas. Revoltados, os alunos de cursos como medicina e enfermagem deixaram a Linha Vermelha.  Um acidente entre três veículos no sentido contrário da pista mais a manifestação, que ocupava a via sentido Baixada Fluminense, causaram grande congestionamento na região, de acordo com a Secretaria Municipal de Transportes. (Colaborou Solange Spigliatti, do estadao.com.br)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.