Upgrade de compadre

Assim como soltar busca-pé, dançar quadrilha e tomar quentão, pegar compadre de Lula para Cristo já está virando tradição nos festejos juninos de Brasília. Em 2007, nessa mesma época do ano, ardia na fogueira do Planalto um certo Dario Morelli Filho, cujo grau de parentesco informal com o presidente foi anunciado ao País em denúncia de contrabando, formação de quadrilha e falsidade ideológica no caso da máfia dos caça-níqueis. Isso quer dizer o seguinte: em matéria de compadre, convenhamos, o advogado Roberto Teixeira pode ser considerado um upgrade nas relações pessoais de Lula. Dizem que, por US$ 5 milhões, ele faz até chover, daí a facilidade com que, pela mesma grana, desembaraçou a venda da Varig a tempo de virar atração nas festas juninas deste ano. Teixeira leva ainda outra vantagem sobre seu antecessor no compadrismo com o presidente: não é, ao contrário de Morelli Filho, amigo de Vavá, o primeiro-irmão do homem. Essas coisas, a oposição não vê. Ô, raça! PAZ E AMORAgora que Paul McCartney e Yoko Ono fizeram as pazes, francamente, não faz mais sentido algum Caetano Veloso e Fidel Castro continuarem brigados.PÉ-FRIOO brasileiro ligado na Eurocopa torceu ontem pela Turquia contra a Alemanha como há muito tempo não fazia em jogos de seleção. Resultado: perdemos!Eu, hein!Tony Ramos se emocionou como se tivesse ganho o Oscar ao receber a Medalha Tiradentes na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. Os próprios deputados presentes acharam aquilo muito estranho.Pra vender feito águaA indústria da pirataria não tem mais o que inventar: está para chegar aos camelôs das calçadas mais movimentadas do País o chiclete "engana bafômetro".Borracha novaRomário comprou um jipe novo. Ainda não fez as contas, mas parece que é o seu milésimo 4x4.Fora de siCiro Gomes está comprando uma briga atrás da outra no Ceará. Toda vez que a personagem de Patrícia Pillar dorme com o jornalista bonitão da novela A Favorita, o ex-ministro arruma um inimigo político em Fortaleza.De volta à militânciaGerald Thomas disse a amigos que, não fosse estrangeiro, teria comprado a Varig para evitar o que está acontecendo com a companhia.Sumiço providencialAmigos de Paulinho da Força estão confiantes. Há mais de dez dias quase não têm notícias do deputado.Peralá!Toda fraude, aí incluída a adulteração de combustível, tem limite. Tem bomba de gasolina em São Paulo vendendo quentão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.