Usineiro acusado de fraudar INSS é transferido para Ribeirão Preto

O usineiro Nelson Afif Cury, de 53 anos, acusado de fraudar em mais de R$ 300 milhões o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), foi transferido nesta segunda-feira de Araraquara para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Ribeirão Preto. Ele foi detido em 29 de maio, no Fórum de Araraquara, sem saber que havia um mandado de prisão expedido pelo juiz federal Paulo Ricardo Arena Filho no dia anterior. Cury é dono das usinas Santa Rita, em Santa Rita do Passa Quatro, e Maringá, em Araraquara. Após ser preso, ele alegou ser diabético e hipertenso e foi levado para a Beneficência Portuguesa, onde ficou numa suíte, sob escolta policial. O procurador da República em Araraquara, Osvaldo Capelari, que pediu a prisão do usineiro, divulgou na semana passada que Cury só não ficou preso em cadeia por força de um laudo médico. Arena Filho, em nota oficial, divulgou a mesma informação. O médico que atendeu Cury disse que ele tinha problema cardíaco. A Justiça determinou, então, que fosse realizado um exame de cateterismo, em São Paulo, no sábado, para se saber a gravidade do problema. O usineiro, no entanto, recusou-se a fazer o exame e foi removido para uma cela improvisada da Polícia Federal. Na tarde desta segunda, Cury foi transferido para o CDP de Ribeirão Preto, pois a Cadeia de Araraquara está sendo desativada.

Agencia Estado,

09 Junho 2003 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.