Usineiro tem prisão temporária decretada

O juiz da Vara Júri e de Execuções Criminais de Ribeirão Preto, Luís Augusto Freire Teotônio, decretou a prisãotemporária do usineiro Alexandre Titoto, de 41 anos, de Mococa, na tarde desta segunda-feira. Ele é suspeito do desaparecimento do empresário Carlos Alberto de Souza Araújo, de 41 anos, desde a tarde de domingo.Muito sangue foi encontrado em vários lugares de um edifício empresarial de Ribeirão Preto, inclusive no escritório de Titoto. Ambos eram amigos de infância e teriam um negócio pendente. Titoto, orientado por advogados, a não depor e só o fará em juízo.Titoto, que pertence à família dona da Usina Ipiranga, comunidades em Mococa e Descalvado, teve um encontro com o amigo, no sábado, em Ribeirão Preto, onde este tem uma namorada e até uma residência. Uma reunião de negócios entre ambos teria sido marcada para domingo, mas cancelada por Araújo.Segundo informações de parentes e da polícia, Araújo seria o vice-presidente do Paribas-BNP (Banco Nacional de Paris), mas o banco desmente que ele seja seu funcionário.À polícia, sem dar mais detalhes, Titoto disse que tinha "transação comercial" com Araújo e que até teria trocado com ele um cheque com um valor maior (cerca de R$ 600 mil).

Agencia Estado,

24 de fevereiro de 2003 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.