ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Uso de máscaras continua obrigatório para táxis, Uber e 99 em São Paulo? Entenda

Nas redes sociais, usuários têm reclamado de motoristas que se recusam a usar a proteção facial após decretos que flexibilizam a obrigatoriedade em locais fechados

João Ker, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2022 | 12h33

Com o decreto do governo estadual de São Paulo que retirou a obrigatoriedade do uso de máscara facial em locais fechados na última quinta-feira, 17, o Brasil chegou ao total de nove capitais que já flexibilizaram a medida de prevenção contra o coronavírus. Nas redes sociais, entretanto, tem aumentado o número de reclamações e dúvidas sobre a necessidade da proteção em corridas de táxi ou corridas de aplicativos como a Uber e a 99

No Estado de São Paulo, o decreto assinado pelo governador João Doria (PSDB) mantém a obrigatoriedade do uso de máscara facial apenas em "locais destinados à prestação de serviços de saúde" e "meios de transporte coletivo de passageiros e respectivos locais de acesso, embarque e desembarque". Ao Estadão, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou que táxis e serviços de transporte por aplicativo não estão contemplados no decreto e têm o uso de máscara facultativo. Ou seja, a obrigação ou não depende das diretrizes de cada empresa e motorista.

Na capital paulista, entretanto, o decreto que também flexibiliza o uso de máscara facial em locais fechados é claro ao manter a obrigação para essa modalidade. Segundo nota da Secretaria Municipal da Saúde, "os veículos de transporte por aplicativo e táxis são considerados de uso público e, portanto, o uso de máscaras deve ser mantido".

O Estadão tentou contato com a Uber para entender quais as diretrizes da companhia em relação ao uso de máscara no Estado, mas não recebeu retorno até a publicação dessa matéria. Em uma publicação nas redes sociais, entretanto, a empresa afirma que "mesmo com a liberação em algumas cidades, o uso de máscara durante as viagens continua sendo obrigatório" e orienta os passageiros a denunciarem pelo aplicativo os motoristas que se recusarem a usar a proteção. 

Já a 99 informou em nota que "está avaliando as mudanças necessárias para o cumprimento das novas diretrizes de cada localidade em que atua, inclusive no Estado de São Paulo", mas reforçou que mantém a obrigatoriedade para motoristas e passageiros na capital paulista, de acordo com o decreto municipal. A empresa também ressaltou que "o momento demanda cuidado e adaptação", mas "a segurança dos passageiros e motoristas parceiros continua sendo uma prioridade". 

No caso de dúvidas, os usuários da 99 podem entrar em contato com o suporte pelo app da 99 ou através da central de atendimento, no 0300 313 2421. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.