Vantagem de petista sobre rivais cai de 7 para 2 pontos

Segundo Datafolha Dilma teria agora 51% dos votos válidos, quase no limite para evitar realização de 2º turno

Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2010 | 00h00

A vantagem da petista Dilma Rousseff sobre os demais candidatos caiu de sete para dois pontos porcentuais em cinco dias, segundo pesquisa do instituto Datafolha. A candidata do PT teria agora 51% dos votos válidos.

Dilma caiu de 49% para 46% na comparação entre as pesquisas concluídas nos dias 22 e 27 deste mês. José Serra (PSDB) se manteve com 28%, enquanto Marina Silva (PV) oscilou de 13% para 14%. Na reta final da campanha, o número de indecisos aumentou de 5% para 7%.

Para que a eleição seja definida no domingo, Dilma precisará de 50% mais um dos votos válidos - excluídos nulos e brancos. Levando-se em conta a margem de erro da pesquisa, ela teria hoje de 49% a 53% dos válidos.

Segundo o Datafolha, a candidata do PT caiu ou oscilou negativamente em todas as regiões e faixas de renda e escolaridade. Se o dado for confirmado pelas próximas pesquisas, indicará refluxo da "onda vermelha" que, a partir da metade de agosto, passou a apontar uma possível uma vitória no primeiro turno.

O Datafolha é o único dos grandes institutos que faz as entrevistas nas ruas, e não na casa dos eleitores. Por isso, capta a opinião de mais pessoas ativas, que saem à rua com frequência.

As mulheres foram as principais responsáveis pela queda de Dilma. No segmento feminino, ela passou de 47% para 42% (48% dos votos válidos. Entre os homens. a petista tem 51% (55% dos válidos).

Enquanto Dilma recuou, Marina cresceu ou oscilou para cima na maioria dos segmentos do eleitorado. Na parcela com escolaridade superior a candidata do PV cresceu 6 pontos (para 30%) e empatou tecnicamente com os adversários do PT (28%) e do PSDB (34%). A pesquisa foi registrada com o número 32.913/2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.