Variação estranha da conta

Em 13/5 a coluna publicou minha carta sobre cobrança excessiva feita pela Eletropaulo desde janeiro. A conta voltou ao normal nos meses de junho, julho e agosto. É claro, sem nenhuma explicação nem reembolso do que foi cobrado indevidamente. Mas em setembro o consumo veio alto, apesar de eu ter ficado oito dias internada no hospital. Contatei a empresa em 9/9 e o atendente disse que desconheciam a troca do medidor feita em 22/1 (conforme consta na resposta da Eletropaulo), mas em dois dias fariam uma nova averiguação. A contragosto, registrou a queixa e deixou escapar: "A senhora sabe que acima de 200 kW o ICMS triplica?" ELISABETH JEAN TICHAUERSão PauloA AES Eletropaulo, em resposta à sra. Elisabeth, informa que, em 23/10, verificou o medidor de energia e constatou que o equipamento estava em ordem, funcionando conforme a Portaria 246 de 20/12/2002, do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A calibração dos medidores de energia elétrica segue as normas técnicas do Inmetro, órgão que fiscaliza os procedimentos técnicos adotados pela empresa, para ver se eles estão em conformidade com a Resolução 456 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A consumidora pode contratar um eletricista particular para verificar se há problemas nas instalações internas. Essa orientação está em conformidade com o artigo 102 da citada Resolução: "É de responsabilidade do consumidor, após o ponto de entrega, manter a adequação técnica e a segurança das instalações internas da unidade consumidora."Jogo de empurraEm 18/7 fiz um pedido de poda de duas árvores na Rua Bandeira Paulista, no Itaim Bibi, pelo site da Prefeitura. Elas causam sérios transtornos aos moradores, pois os galhos estão invadindo os apartamentos, possibilitando que marginais entrem nos imóveis. Além disso, os galhos enroscam na fiação elétrica. Dois meses depois, recebi resposta automática do portal da Prefeitura, informando o envio do pedido ao órgão responsável. No dia seguinte, recebi outro e-mail, com cópia para o subprefeito Nilton Nachle, pedindo providências. Em 7/10 liguei à Ouvidoria e a funcionária respondeu que a subprefeitura tinha de 1 a 30 dias para dar retorno. Estou estarrecida com tanta demora, e, enquanto isso, os galhos continuam entrando nos apartamentos e se enroscando na fiação elétrica. O contribuinte é obrigado a pagar vários impostos e não recebe nem um serviço básico bem-feito. Esse trabalho deve ser executado com urgência, antes que ocorra um problema maior por falta de manutenção. VALÉRIA ADAN São PauloO subprefeito de Pinheiros, Nilton Nachle, informa que a equipe de áreas verdes vistoriou o local e constatou que a árvore precisa de nova poda. Como os galhos estão envolvendo a fiação, o serviço precisa de apoio da Eletropaulo e só pode ser realizado nos finais de semana. A poda está programada para o dia 15/11.INFORME-SE: O pedido de poda pode ser feito pelo 156 ou pelo http://sac.prefeitura.sp.gov.br. Há quatro tipos: a de formação, que confere uma forma adequada à árvore durante seu desenvolvimento; a de limpeza, que elimina ramos doentes ou danificados; a de emergência, que retira galhos que põem em risco a segurança; e a de adequação aos espaços, edificações ou equipamentos urbanos. Se a solicitação não for atendida, deve-se procurar a Ouvidoria da cidade. Se uma árvore estiver prestes a cair, o Corpo de Bombeiros (193) e a Defesa Civil (199) devem ser acionados.Vencer pelo cansaçoPedi cancelamento da assinatura da Sky, mas continuei recebendo cobrança pelo serviço. No final de abril, após entrar em contato com a empresa, disseram que o serviço não seria mais cobrado. Em 22/8, chegou nova fatura e, então, cancelei oficialmente a assinatura. No mês seguinte, recebi outra, de R$ 144,90. Depois de passar mais de 40 minutos ao telefone (eles tentam nos fazer desistir do cancelamento pelo cansaço), a atendente disse que eu receberia o valor pago indevidamente em minha conta corrente em cinco dias. Mas isso não foi feito. Entrei em contato com a empresa mais duas vezes, mas , até o dia 14/10, o dinheiro não tinha sido devolvido. LUIZ ROBERTO LIMA DE MORAESJundiaí A SKY informa que contatou o leitor, em 23/10, para informar que já foi providenciada a devolução do valor pago indevidamente em sua conta corrente. O cliente ficou ciente de que o valor estará disponível num prazo máximo de 10 dias úteis. O leitor confirmou o depósito. As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.