Varig providenciará conserto de casa atingida por peça de avião

Uma equipe de engenheiros da Varig esteve na casa atingida por uma peça da turbina de um Boeing 737 que se desprendeu depois da decolagem na noite desta segunda-feira. A equipe buscava avaliar a extensão dos danos materiais à residência, localizada próxima ao aeroporto de Cumbica, de onde o avião partiu em direção ao Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. Além de providenciar os consertos imediatamente, a empresa dará aos moradores toda a assistência necessária, segundo informou em comunicado oficial divulgado nesta terça-feira. Segundo a Varig, o pouso e o desembarque foram conduzidos sem qualquer transtorno aos 77 passageiros e seis tripulantes, que foram acomodados em hotéis próximos ao aeroporto e realocados em outros vôos da empresa no dia de hoje. Ainda não se sabe a causa do incidente que provocou o desprendimento de um pequeno fragmento de cerca de 15 centímetros de diâmetro que atingiu o telhado da residência localizada próxima ao aeroporto. O Departamento de Aviação Civil (DAC) informou, por meio de sua assessoria, que a Varig passará hoje por uma auditoria de segurança em razão do incidente ocorrido na noite de segunda-feira no Aeroporto de Cumbica. De acordo com o órgão, o procedimento é comum em caso de ocorrências como esta. Ontem, por volta de 23 horas, um pedaço da turbina de um Boeing 737 se desprendeu depois que o avião decolou. O piloto fez um pouso forçado em Cumbica e não houve feridos. A Varig tem manutenção própria na subsidiária Varig Engenharia e Manutenção (VEM), que foi vendida para a estatal portuguesa TAP e está passando por uma mudança no quadro de administradores. O novo presidente do conselho de administração da VEM é o português Jorge Sobral. O presidente executivo da empresa, o brasileiro Evandro Oliveira, foi mantido no cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.