Reuters
Reuters

Vazamento de gás: dicas para evitar e identificar casos

Normas técnicas e selos indicam produtos e formas de instalação mais seguras; técnica simples ajuda a verificar se há vazamento

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2019 | 13h08

A morte de seis brasileiros em um apartamento em Santiago, no Chile, trouxe novas discussões sobre a segurança do uso de equipamentos a gás em ambientes domésticos. No Brasil, há uma série de normas técnicas, selos e manuais que indicam os produtos e formas de instalação mais seguros. 

Com a queima, o gás (geralmente natural ou GLP) passa por reações químicas que o transforma em dióxido de carbono e água. Quando a combustão é incompleta (como em um vazamento), contudo,  pode dar origem ao monóxido de carbono. Em geral, é possível identificar vazamentos pelo cheiro.

Os manuais do Programa Nacional de Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural (Conpet) indicam uma técnica simples para verificar se há vazamento: aproximar uma esponja de cozinha com água e sabão do botijão, cilindro ou aquecedor a gás. Se aparecerem bolhas, há vazamento.

Indepentemente do resultado, em caso de suspeitas, é recomendado procurar assistência técnica especializada.

Como proceder em caso de vazamento em  fogão aceso:

- Se possível, feche o registro do gás;

- Afaste as pessoas do local;

- Desligue a chave geral da eletricidade;

- Retire os materiais combustíveis que puder;

- Ligue para o Corpo de Bombeiros.

Como proceder em caso de vazamento em outros casos:

- Desligue a chave geral da eletricidade se ela estiver fora da residência;

- Não fume, acenda fósforos ou utilize isqueiros;

- Abra as portas e janelas;

- Feche o registro de gás;

- Afaste as pessoas do local;

- Não ligue ou desligue interruptores de eletricidade;

- Se for um botijão ou cilindro de gás, retire o item para a área externa e coloque um pano molhado sobre a área de vazamento;

- Entre em contato com a empresa distribuidora de gás e, em casos graves, com o Corpo de Bombeiros. 

COMPRA DE FOGÕES

O manual "Dicas de economia e segurança no uso do seu fogão a gás", do governo federal, indica a compra de fogões a gás com o selo do Conpet, de Eficiência Energética, e a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), do Inmetro. O manual ainda recomenda, antes da instalação, verificar o tipo de gás disponível. Caso não seja compatível com o aparelho, é necessário fazer a conversão com a assistência técnica ou com a companhia distribuidora. 

O fogão deve ser instalado em um local com ventilação permanente, preferencialmente com janelas basculantes e porta. Durante o uso, não deixe o fogo exposto a grande incidência de correntes de ar, pois pode causar o apagamento do fogo e o escapamento de gás. 

BOTIJÃO

O manual do Conpet e o Corpo de Bombeiros de São Paulo indica que as abraçadeiras, os reguladores de pressão e as mangueiras devem ser trocados a cada cinco anos, priorizando os com certificação do Inmetro (no caso dos dois últimos). Outra recomendação é comprar somente de empresas credenciadas e verificar o estado do botijão no momento em que é recebido (ele não pode estar amassado, enferrujado ou com qualquer outro tipo de dano).

O ideal é que seja instalado na vertical e em um local coberto e com ventilação, evitando espaços como armários, gabinetes, vãos de escada e porões, dentro outros. Além disso, o item não deve estar próximo de ralos de escoamento de água, pois, em caso de vazamento, pode causar explosão, ou estar com a mangueira encostada ou atrás do fogão. Se o gás for canalizado, a mangueira precisa ser flexível e ter reforço externo em malha metálica trançada. 

AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS

O manual "Dicas de economia e segurança no uso do seu aquecedor de água a gás", do governo federal, indica a compra de aquecedores com o selo do Conpet, de Eficiência Energética, e a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), do Inmetro. 

Antes de instalar o aquecedor, verifique se o tipo de gás disponível no local é o mesmo para o qual o aparelho foi especificado. Caso o gás fornecido seja de outro tipo, é necessária a conversão ou troca. 

A instalação deve ser efetuada por uma assistência técnica especializada. É importante que sejam cumpridos os procedimentos recomendados pela ABNT, especialmente os que se referem à ventilação externa do ambiente e à instalação da chaminé para exaustão dos resíduos da combustão.

O indicado é ligar o aquecedor apenas antes do uso. As chamas devem apresentar coloração azulada. A presença de tonalidades amarelas indica que os queimadores estão sujos ou desregulados. Para qualquer modelo, o aparelho deve ser desligado após o uso.

Em prédios mais antigos que têm aquecedores em banheiros, o que é proibido em novas construções, o recomendado é procurar uma avaliação da companhia distribuidora de gás ou de uma assistência técnica especializada. "Se for possível, escolha uma opção mais segura, mudando o local do aquecedor para a área de serviço ou mudando o modelo de aparelho", diz o manual.

Outra recomendação é não instalar o aquecedor em uma posição em que possa haver a incidência de forte corrente de ar, pois isso pode causar o apagamento das chamas e o vazamento do gás. "Regule seu aquecedor e verifique sua instalação periodicamente (a cada 2 anos) para sanar qualquer defeito que ponha em risco a sua segurança e evitar eventual desperdício de gás. Use sempre peças originais, nunca use peças recondicionadas."

Antes do uso do aquecedor com chama piloto, abra o registro de segurança do aquecedor e risque o fósforo. A seguir, gire o botão até a posição "piloto" e acenda o piloto imediatamente. Após aceso, gire o botão até a temperatura desejada e abra a torneira de água quente. Verifique se o queimador está totalmente aceso. 

Se o aquecedor funcionar com ignição do piloto por meio de eletrodos (velas), o acendimento deve ocorrer logo na primeira tentativa. Caso contrário, o gás será desperdiçado durante as diversas tentativas de acendimento, havendo risco de explosão. 

No caso de aquecedor com acendimento automático, o queimador deve acender imediatamente quando a torneira de água quente é aberta. Se ocorrer dificuldade no acendimento, substitua as pilhas ou verifique a ligação elétrica do aparelho. 

Por fim, no caso de aquecedor de acumulação (como o boiler a gás), procure programar o horário do banho de todos os moradores para evitar que o aquecedor permaneça ligado. Se for preciso que fique ligado ao longo do dia, procure colocar o termostato no nível mínimo. 

Tudo o que sabemos sobre:
gásmonóxido de carbonointoxicação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.