Vazamento de prova cancela concurso da Polícia Rodoviária

Cerca de 120 mil pessoas de todo o País concorriam a 340 vagas para agente da Polícia Rodoviária Federal

Fabiana Cimieri, Agência Estado

08 de dezembro de 2007 | 12h01

A Polícia Rodoviária Federal cancelou o concurso nacional previsto para este sábado, 8, porque teria havido vazamento do conteúdo das provas. A recomendação foi feita pelo Ministério Público Federal, depois de investigar a denúncia.   Cerca de 120 mil pessoas de todo o País concorriam a 340 vagas para agente da PRF, sendo 146 para o Mato Grosso e 194 para o Pará. As provas seriam aplicadas em diversos Estados. O salário inicial é de R$ 5.084.   Segundo a assessoria de imprensa da PRF, uma nova data só será marcada depois de a investigação comprovar se houve conivência dos organizadores, do Núcleo de Computação Eletrônica (NCE) da UFRJ. A previsão é que o novo concurso aconteça apenas no ano que vem, pois há a possibilidade de que a UFRJ, que ganhou a licitação para aplicar a prova, seja dispensada.   Os procuradores regionais da República de São João de Meriti, município na Baixada Fluminense, Ana Paula Rodrigues e Antônio Cabral receberam de um informante o conjunto de provas que seria aplicada.   O professor do NCE Orlando Bastos Mendes, responsável por elaborar os gabaritos das questões, reconheceu o teor das questões, e até a formatação, como sendo iguais aquelas que seriam aplicadas no concurso.   Na mesma cidade, um homem ainda não identificado foi preso ao oferecer o gabarito das provas por R$ 40 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.