Veículo da Presidência faz transporte para comício de Lula em Brasília

O primeiro comício do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Brasília, na noite desta segunda-feira, deixou clara a mistura entre o aparato oficial e as ações de campanha. Até os militantes do PT estranharam quando a Kombi placa JFO 9312, da Presidência da República, estacionou ao lado do palanque.Um funcionário do Palácio do Planalto abriu a porta do carro e retirou uma caixa com lanches. Os sacos plásticos com refrigerante, sanduíche, bombom e maçã foram distribuídos entre os seguranças que têm de acompanhar Lula em compromissos eleitorais ou de governo. Os assessores do Planalto confirmaram que os lanches foram levados pela própria Presidência, mas ressaltaram que não houve gasto adicional, porque os lanches são distribuídos todas as noites.Pelo menos 20 seguranças foram deslocados para o comício, muitos deles com a missão de operar outra novidade dos comícios do PT: os detectores de metal. Cinco portais foram instalados, cada um com um segurança homem e uma mulher, encarregados de revistar pastas e bolsas e passar o detector manual nos casos em que soasse o alarme. Militantes, cabos eleitorais e candidatos recebiam, em seguida, broches iguais aos que, nas atividades oficiais, são distribuídos aos visitantes.A assessoria do PT informou que o aparato de segurança do presidente é permanente, independentemente de o compromisso ser oficial, eleitoral ou particular. As filas para passar nos detectores só não foram maiores porque o público era reduzido.Como manda a Lei Eleitoral, o PT reembolsará a Presidência pelos gastos com os deslocamentos do presidente, de carro ou de avião.Nesta segunda-feira, o Planalto reduziu o número de veículos do comboio presidencial e assessores da comitiva de Lula. Além da Kombi, a Presidência deslocou para o comício uma ambulância e dois Ômegas, um dos quais transportou o presidente do palácio ao Setor Comercial Sul, local do comício, em frente ao comitê petista. Um médico e o porta-voz, André Singer, acompanharam Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.