Veículo já tinha sido multado por excesso de velocidade no Rio

Nos dois casos, carro ultrapassou em até 20% o limite permitido, com multa de R$ 85,13 e [br]quatro pontos na carteira

Leandro Colon / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2011 | 00h00

Antes de ser parado por uma blitz no Rio de Janeiro na madrugada de domingo, o carro usado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Estado já havia tomado este ano duas multas de trânsito por excesso de velocidade.

Uma infração foi registrada às 17h40 do dia 7 de fevereiro, uma segunda-feira, num trecho da rodovia RJ-102 no município de Búzios (RJ). A outra é do dia 9 de abril, um sábado, às 16h47, na Avenida Infante D. Henrique, na cidade do Rio.

Nos dois casos, o veículo, um Land Rover ano 2010, ultrapassou em até 20% o limite de velocidade permitido, segundo dados do Departamento de Trânsito (Detran) de Minas Gerais, onde o carro está registrado. Cada infração desse tipo pune o condutor em quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,13.

O veículo usado no Rio está em nome da Rádio Arco Íris Ltda., que pertence a Andréa Neves, irmã de Aécio. Por ser uma empresa, a rádio tem de indicar quem estava ao volante no momento das duas infrações, caso contrário, pagará, além do valor cobrado pelo excesso de velocidade, uma multa extra por essa omissão, chamada de multa por não indicação de condutor. A carteira de motorista de Aécio, segundo sua assessoria, venceu no dia 15 de fevereiro. Ele tinha permissão para andar sem renovação por mais 30 dias.

A reportagem do Estado procurou ontem o senador para comentar as multas por excesso de velocidade que aparecem nos registros do Detran-MG. Até o fechamento desta edição, a assessoria de Aécio Neves informou que não poderia confirmar quem estava ao volante quando as duas infrações foram cometidas em Búzios e na cidade do Rio de Janeiro.

O Land Rover foi comprado por R$ 340 mil em novembro do ano passado e faz parte de uma frota de 10 veículos da Rádio Arco Íris.

A guardiã

No governo mineiro, Andrea Neves coordenou a comunicação social de Aécio. Nos bastidores, era a guardiã de sua imagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.