Vem aí o piscinão de Cubatão

Uma praia artificial, semelhante ao piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro, será instalada em Cubatão, cidade industrial da Baixada Santista, a única da Região Metropolitana que não é banhada por mar. O presente está sendo prometido pelo prefeito Clermont Silveira Castor (PL), que já manteve contato com a empresa responsável pelo projeto carioca, para que o empreendimento seja instalado no Parque Ecológico Cotia-Pará, um local de fácil acesso, próximo da Via Anchieta.O piscinão de Cubatão deve ocupar um espaço equivalente a três campos de futebol, no interior do parque, bastante conhecido da população, por ostentar alguns equipamentos de lazer e uma estátua do Cristo Redentor, no ponto mais alto de um morro. Clermont, que anunciou a obra durante as comemorações do 53º aniversário de emancipação político-administrativa da cidade, acredita que o piscinão fique pronto no prazo máximo de um ano, podendo ser desfrutado pelos moradores já no próximo verão.Ao inaugurar um viveiro de plantas nativas do Parque Cotia-Pará, esta semana, o prefeito destacou a mudança de imagem do município, que até há bem pouco tempo esteve ligada à poluição e às más condições de vida da população, sobretudo dos antigos moradores da extinta Vila Parisi, que ficava encravada no Vale do Rio Mogi, entre as chaminés das indústrias e, em razão da degradação ambiental, a região ficou conhecida como "Vale da Morte"."Hoje, Cubatão tem merecido a atenção da mídia, como exemplo de recuperação ambiental, que pode ser atestada, entre outros aspectos, pela volta dos guarás-vermelhos", disse, destacando que o projeto do piscinão integra uma das muitas iniciativas idealizadas pela prefeitura para recuperar a auto-estima do povo cubatense, que ainda carece de mais opções de lazer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.