Vendaval causa destruição em Congonhas

O forte vento que atingiu a região próxima ao Aeroporto de Congonhas na tarde desta terça-feira destruiu completamente quatro hangares comerciais que abrigavam helicópteros e pequenos aviões no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Os telhados dos hangares das empresas Flamingo, Morro Vermelho, Première e TAM foram totalmente deslocados para a rua e atingiram o telhado de algumas casas. Em entrevista à Rádio Eldorado AM, o tenente Guido Eugênio, do Corpo de Bombeiros, informou que duas pessoas sofreram ferimentos leves. Só não havia confirmação se as vítimas seriam funcionários dos hangares ou moradores. Os bombeiros continuam as operações no local para verificar se há mais feridos. Devido aos fortes ventos, as operações de pousos e decolagens foram suspensas no aeroporto das 16h03 até 16h40. Além da ventania, segundo a assessoria da empresa, as imediações do aeroporto estão sem energia elétrica. A iluminação em Congonhas era mantida por meio de um gerador. Até o fechamento da pista, a Infraero contabilizava apenas cinco decolagens com atrasos superiores a 45 minutos, das 203 programadas para esta tarde. O número representa 2,5% dos vôos programados das 5h30 às 16 horas. O temporal também causou a queda de uma árvore de grande porte sobre três das seis faixas da Avenida Washington Luís, altura do 7011, na zona sul, no sentido centro, às 16h18. Não havia informações sobre vítimas, mas o trânsito ficou complicado na região.

Agencia Estado,

03 Abril 2007 | 16h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.